Reparo histórico

by

helderfleury

Morei em São Carlos-SP, nos anos 80.
A cidade exibia um conservadorismo exacerbado, especialmente
no que se refere ás suas chamadas “elites”. Isso se refletia, claro,
na Câmara Municipal e no poder público. Prefeitos foram eleitos
com a força e influência dessa gente. Ocorreu, nessa época, outro
fato lamentável que considero estreitamente relacionado com essa
mentalidade.

Um livro foi queimado em praça pública na praça central da cidade.

Um espetáculo típico da pior censura e perseguição ideológica.
Era um livro didático utilizado na escola pública que continha
um poema sobre o Natal e falava em Cristo em sua dimensão humana
e criticava o consumismo da data em oposição aos sentimentos
cristãos.

A mesma São Carlos que colocou o nome de um torturador em
uma de suas ruas e que agora se redime. É uma boa notícia, que
o professor Caio N. de Toledo, da Unicamp, comenta em seu
artigo reproduzido abaixo.

São Carlos repudia torturador
14 de maio de 2009

Na incessante luta pelo aprofundamento da democracia política no Brasil, os vereadores de São Carlos, SP, foram responsáveis por uma decisão histórica: na tarde do dia de 12 maio, por unanimidade, os vereadores dessa cidade aprovaram um projeto de Lei que altera o nome da rua Sérgio Paranhos Fleury. A partir dos próximos dias, com a sanção da Lei pelo prefeito municipal, a rua passará a se denominar D. Hélder Pessoa Câmara.

Certamente, este ato em nada mudará o cotidiano dos moradores da rua nem dos demais habitantes da cidade. No entanto, na batalha em defesa do “direito à memória e do direito à verdade” sobre os fatos ocorridos durante a ditadura militar, a decisão dos vereadores de São Carlos tem um inestimável valor simbólico.

Por meio deste ato, um dos mais violentos e sádicos torturadores da ditadura militar – cujo nome foi imposto à cidade por meio de decreto de um obscuro prefeito, no ano de 1980 – em breve, deixará de ser lembrado pelos habitantes de São Carlos: pelos que transitam pela rua, pelos registros dos imóveis, pelas correspondências recebidas por seus moradores etc.

Mais do que isso: todos progressistas e democratas do país que conheceram a sinistra e brutal atuação desse policial – sempre acobertado e respaldado pelos altos escalões militares -, ficarão aliviados com este ato de justiça reparatória. Depois de quase 29 anos, a vexatória homenagem – conferida ao policial que comandava sessões de torturas nos sinistros porões da OBAN/DOI/CODI e que foi agente direto em ações que resultaram nas mortes de combatentes da ditadura militar – será, finalmente, varrida da cidade.

Simbólica e singular vitória dos democratas e progressistas que reconhecem e respeitam a memória de brasileiros e brasileiras que tiveram suas vidas sacrificadas no combate à ditadura militar.

Dupla derrota dos que ainda hoje cultuam a ditadura militar: é escorraçado da cidade de São Carlos o nome de um dos “heróis” do regime militar; em seu lugar entra o pequeno e frágil, mas, sempre destemido, “bispo vermelho” – D. Helder Pessoa Câmara.

A decisão dos vereadores de São Carlos – tendo à frente o presidente da Câmara, Lineu Navarro (PT), e apoiada vivamente por entidades em defesa dos direitos humanos, por acadêmicos de várias partes do país, estudante, artistas, jornalistas etc. – deveria se constituir em exemplo para todos legislativos brasileiros.

A defesa do “direito à memória e do direito à verdade” deve implicar também a luta pela ressignificação dos nomes de nossas ruas, praças, edificações públicas etc. que hoje cultuam os “heróis” e os patronos da ditadura militar de triste memória no Brasil.

Caio N. de Toledo
Professor da Unicamp

Tags: , ,

4 Respostas to “Reparo histórico”

  1. Marta Bellini Says:

    Puxa, como fiquei feliz com esta atitude!
    Viva o povo de São carlos que mudou o nome da rua!

    Abç
    Marta

  2. Victor Says:

    É finalmente algo que vale a pena ler e ver nos dias de hoje

    Abraço
    Victor

  3. jarbas Says:

    Apesar do reacionarismo histórico das “elites” sancarlenses, a cidade não merecia rua com nome de torturador. Que o exemplo frutifique la é em toda parte. Abraço, Jarbas.

  4. Fábio Marques Says:

    Conheci o blog por acaso, e confesso que gostei bastante do que escreveu Caio Toledo sobre a mudança de nome da rua ” ” para Dom Helder Câmara… E no mesmo sentido, é bom parabenizar a Universidade Federal do Ceará que teve recentemente o auditório de sua reitoria rebatizado… Ao invés de Castelo Branco, primeiro presidente da ditadura brasileira, o honorável reitor Ícaro de Souza… Salve a democracia!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: