Canto do cisne dos grandes festivais faz 40 anos

by

 

 

Em Arquivo68, entremeando as Memórias e Outras Histórias, um assunto puxa o outro. Antonio Morales acaba de postar um artigo sobre Sérgio Ricardo. O artigo remete aos festivais dos anos 60. Ele chamou-me a atenção para o fato de que, debalde as inúmeras tentativas de ressuscitamento, os festivais de música nunca mais tiveram o mesmo brilho. Pensando nisso, eis que me deparo com o artigo de Celso Lungaretti: Canto do Cisne dos grandes festivais, o III FIC faz 40 anos, que assim começa:

“A época de ouro dos festivais de música popular vai até 1968, pois em dezembro daquele ano o Brasil entrou no inferno do AI-5 e os artistas, intimidados e censurados, não puderam mais exercer verdadeiramente seu ofício.

O canto do cisne do período de maior efervescência musical que o País já conheceu foi o III Festival Internacional da Canção, da Rede Globo, realizado em setembro de 1968, em meio a passeatas que degeneravam em batalhas campais, mortes de opositores da ditadura, denúncias de torturas, ações armadas da esquerda, atentados dos grupos para-militares de direita (o Comando de Caça aos Comunistas acabara de espancar o elenco da peça Roda Viva) – a ante-sala do inferno, enfim.”

Para quem se interessar, postamos o artigo completo em Páginas 35. Ou, se preferirem, vejam o artigo em Café História, seu contexto original.

Tags: , , , , , , , , ,

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: